01/11

01/11

02/11

02/11

03/11

03/11

04/11

04/11

05/11

05/11

06/11

06/11

07/11

07/11

08/11

08/11

09/11

09/11

10/11

10/11

11/11

11/11

Curitiba e seus olhos: relatos urbanos

Uma viagem “entreolhares”

Partir e voltar. Ele resolveu voltar. Fez o caminho inverso depois de muitos anos. As nuances, as mudanças, o cheiro, a estética, as pessoas…Nada era como antes. Sobe no ônibus e parte em busca da materialização de sua memória.

Esse olhar do personagem observador de “Curitiba e seus olhos” mostra a multiplicidade da capital paranaense. Como é a Curitiba de hoje, depois de tantas transformações? O livro é uma espécie de sketchbook, caderno de esboço, ou, ainda, um diário de bordo. O designer gráfico Juliano Lamb, o arquiteto Fábio Domingos Batista e o ilustrador Felipe Grosso, fizeram a pé o mesmo circuito do ônibus da linha turismo, que circula pelos pontos turísticos da cidade para tentar compreender os olhares do personagem que se depara com um ambiente urbano em metamorfose. De carona nessa “viagem” foi possível analisar os pontos turísticos de Curitiba, pelos quais ela é reconhecida, além das ruas que interligam um ao outro, bairros residenciais, áreas comerciais, avenidas e grande parte da área central e seus arredores. A equipe pesquisou o trajeto durante aproximadamente um ano e meio, entrevistando pessoas, fotografando e colhendo referências para retratar de maneira natural e autoral, os olhares de Curitiba.

Mas afinal, como é que as pessoas enxergam a cidade? Esta narrativa foi proposta apenas como um elemento de ligação. A ideia é observar a cidade vivenciada, tanto por seus moradores quanto pelos inúmeros turistas que circulam diariamente por suas ruas, parques e monumentos.

O destaque está nos elementos gráficos e na experiência urbana relatada pelas pessoas. Os entrevistados foram identificados, na maioria dos casos, pela sua profissão ou local de origem. O tema das entrevistas foi Curitiba, em uma conversa aberta, porém evitando qualquer direcionamento ou indicação de referências, para registrar a essência da experiência que cada entrevistado possui da cidade. As contradições encontradas, tanto na imagem que se tem da cidade quanto no discurso de um só entrevistado, demonstram a complexidade do conceito e também da experiência urbana.

Não há no espaço urbano, delimitado geograficamente, apenas um conceito de cidade. E sim várias cidades, sendo cada uma delas fruto da vivência singular de cada um que passa por aqui. Múltiplos olhares que refletem uma só Curitiba, que continua recebendo diversas etnias, sotaques e experiências.

Autores Fábio Domingos Batista, Felipe Grosso e Juliano Lamb